Fotos relacionados ao daime

Publicado: novembro 12, 2012 em Uncategorized

Imagem

Estrela utilizada pelos fardados

 

Imagem

Reuniões dos seguidores da doutrina

 

Imagem

 Mestre Imperador Raimundo Irineu Serra – Rei Juramidã – Fundador da Doutrina do Santo Daime

 

Imagem

No centro, Mestre Raimundo Irineu Serra, “o cara” do Daime

 

Imagem

Ritual dos seguidores.

 

Imagem

Chá santo daime

 

Imagem

Madrinha Peregrina

 

Imagem 

Padrinho Sebastiao

Alunos:

Felipe Amorim       nº 12   3DM

Mathaus Laureano nº 30   3DM

Anúncios

Ritos Sagrados

Publicado: outubro 21, 2012 em Uncategorized

Pequeno vídeo com imagens dos rituais do santo daime. Não foi permitida a gravação dos ritos sagrados, então utilizei outros documentários como referências.

Aluna: Sara Oliveira; 3AM.

Traços Religiosos

Publicado: setembro 7, 2012 em Uncategorized

Irineu Serra conheceu a bebida Ayahuasca através de nativos da região amazônica. A bebida possui efeito alucinógeno, causando mirações, que são visões provocadas pela bebida. Durante a terceira miração de Irineu Serra, ele avistou uma mulher que se compreendeu ser a própria nossa senhora da conceição. Esse fato determina a cristianização da bebida e a mescla de elementos culturais  caboclas, xamânicas e catolicistas que são identificadas nos trabalhos daimistas.

Num hinário ritual normalmente são cantados hinos que são considerados revelações divinas. O conteúdo faz uma busca a uma realização espiritual. Tem uma dimensão mística de profundidade com significados pessoais, busca ao autoconhecimento.  Alguns hinos incluem principalmente invocações da trindade divina, da caridade e perdão, outros preferem referencias diretas e acontecimentos bíblicos que se fundem ao som de instrumentos indígenas. As letras e melodias são fundamentais para o processo de miração, facilitando ao individuo o encontro com sua consciência. O uso da imagem de santos caracteriza o cristianismo dentro da doutrina daimista. O uso de instrumentos como maracás, violas, flautas, bongôs e atabaques durante os hinários, caracterizam a cultura indígena, xamânica e afro-brasileira.

Turma: 3CM

Alunos: Nº 12 Dinara Magalhães,  Nº 17 Fernanda Viana e  Nº 43 Natália Akemi

O que é o Daime?

Publicado: setembro 4, 2012 em Uncategorized

O Santo Daime é uma manifestação religiosa criada em plena região amazônica, mais precisamente no estado do Acre, no inicio do século XX. Seu Criador foi Raimundo Irineu Serra, chamado por seus contemporâneos de Padrinho Irineu.

Fonte : Mestre Irineu – Santo Daime – CICLUMIG

   O chá Daime, é feito de cipó jagube (Banisteriopsi caapi) e folhas da erva chacrona ou erva rainha (Psychotria virides). Segunda as pesquisas, o chá possui em sua composição química diversas substâncias, sendo a mais importante a dimetiltriptamina (DMT) atua no cérebro regulando a produção e absorção de serotonina, dopamina e noradrenalina, o que gera uma sensação de bem estar por longos períodos de até oito horas.

Fonte: G1.globo.com

 

  Nos rituais, sempre são tocadas musicas fortes, hinos religiosos, com o uso maracás (instrumento indígena ancestral). Enquanto musicas e hinos são tocados, os adeptos do santo daime dançam de uma forma constante e organizada, vestidos de branco. Os cultos podem chegar a 12 horas de duração, com algumas pausas para a ingestão do Daime.

Fiéis participam de culto do Santo Daime na igreja Céu dos Ventos em Haia, na Holanda (Foto: Divulgação / Igreja Céu dos Ventos)G1.com

Segundo os lideres também chamados de “padrinhos”, o objetivo  da doutrina do Santo Daime é  uma missão espiritual  de alcançar a experiência e o auto-conhecimento que encaminha os seus praticantes ao perdão e a regeneração do seu ser (Dai-me paz, Dai-me luz…).

Altar onde são feitas as orações de purificação do ritual de Santo Daime é visto durante sessão na cidade de Juquitiba, em São Paulo (Foto: Arquivo / Agência Estado)

 

  Alguns famosos também tomam ou já tomaram o santo Daime, como por exemplo a atriz Maitê Proença, que afirma, que tomou o chá durante 3 anos, e que era um processo demorado e dolorido, mas fazia isso por paixão.

Maitê Proença

   Outro famoso que já tomou o santo Daime é o cantor Ney Matogrosso, que afirma: “O Daime mexe com o nosso inconsciente,  ele não é uma religião meramente. A bebida você toma, e ela vai trabalhar você. Você vai saber quem é de verdade.

Ney Matogrosso

   E outro exemplo é a Monique e o  João Carvalho do BBB12 que ambos afirmaram que “ Enquanto o chá faz efeito, o pessoal [seguidores do Santo Daime] ficam bailando, sabe? Devagar, de um lado para o outro. É muito bonito. E a Monique ainda disse também que sua vó mora na comunidade, localizada no Acre.”

Fonte: Reprodução/Rede Globo

Turma:  3AM

Alunos:  Amanda Kador, Nº 01

Anna Clara, Nº 03

Luiz, Nº 27

Vanessa Frota,  Nº35

A história do Santo Daime

Publicado: setembro 1, 2012 em Uncategorized

A Doutrina do Santo Daime foi fundada em 1930, por Raimundo Irineu Serra em Rio Branco, Acre. Nascido em 15 de dezembro de l892, em São Luis do Ferré (MA), filho de Sanches Serra e Joana Assunção Serra, deixou a sua terra natal aos 15 anos passando por diversos lugares até chegar ao Acre, atraído pela extração do látex da seringueira, em um período de intenso fluxo migratório aos seringais amazônicos, pois vivia-se naquela época o chamado “Ciclo da Borracha”. Trabalhava como soldado da guarda territorial, no setor de delimitação da fronteira do Acre com a Bolívia e o Peru. Nesse período, na cidade de Cobija (Bolívia), conheceu dois conterrâneos, os irmãos Antônio e André Costa, conhecendo através deles a bebida milenar designada como ayahuasca, utilizada pelas sociedades indígenas da região em seus rituais xamânicos.
Raimundo Irineu Serra foi convocado a consagrar o “huasca” pela primeira vez no Peru, onde disseram a ele que a bebida era “arte de Satanás”, que muitos a tomavam e faziam seus pedidos de riqueza e fortuna. A princípio, o Mestre não aceitou, mas depois pensou e disse: “Eu vou! Se for uma coisa boa, vou levar pro meu Brasil, pois de coisa ruim o meu Brasil já está cheio”. Ao tomar a bebida duas vezes, Raimundo não sentiu seus efeitos, somente na terceira é que chegaram as “mirações’’
Consagrou a bebida, pois ele que era muito corajoso, começando a chamar Satanás e todos os demônios para ajudá-lo a ganhar muito dinheiro, para que ele pudesse retornar para sua terra.Contudo, ele só via cruzes por todos os lados e de diversos tamanhos, então ele começou a desconfiar: “Isso não é coisa do Diabo, o Diabo tem medo de cruz, e quanto mais eu chamo o Diabo, mais cruz aparece!”.
Estava sentado em uma roda de 12 pessoas quando D. Pisango se aproximou e “entrou” na cuia grande onde era servida a ayahuasca, sendo percebido apenas pelo Mestre. O caboclo pediu que Irineu convidasse o grupo a olhar dentro da cuia e que dissessem o que estavam vendo. Responderam que viam apenas a bebida. Aí foi que veio a revelação de Pizango para o Mestre Irineu, Crescêncio era o nome dele, mas a entidade era Don Pizango.“Olha, só uste vai aprender o tanto que eu aprendi”. Essa foi a palavra de Don Pizango para ele. Então, o caboclo Pizango explicou ao Mestre Irineu que só ele tinha condições de trabalhar com aquela bebida e que ninguém mais conseguia ver o que ele via com a Ayahuasca.
A história do surgimento da doutrina está relacionada, portanto, igualmente a uma senhora de nome Clara (A Luz) que lhe aparecia em visões e que é identificada como Nossa Senhora da Conceição, a Rainha da Floresta, que lhe deu instruções para que se preparasse que ela tinha uma missão espiritual para entregar a ele. Após provar da bebida, surgiu a curiosidade em saber como ela era preparada, então seu amigo Antonio Costa disse a ele que sabia quais eram os ingredientes utilizados e o modo de preparo.
Após a colheita do cipó jagube e da folha Rainha, Raimundo Irineu conseguiu preparar a “ huasca “ , mas achou melhor aguardar pela volta de Antonio Costa, que estava viajando, para tomarem juntos.
Mestre Irineu não inventou a ayahuasca, foi apenas responsável pela cristianização do seu uso, rebatizando a bebida a partir do rogativo “Dai-me Amor”, “Dai-me Firmeza”. A nova seita religiosa mesclou elementos culturais diversos como as tradições caboclas e xamânicas, o catolicismo popular, o esoterismo e tradições afro-brasileiras.
Na década de 1930 inicia seus trabalhos espirituais com um pequeno grupo de seguidores nos arredores de Rio Branco e, com o passar dos anos, viu esse grupo aumentar em tamanho e importância no cenário acreano. Raimundo Irineu Serra faleceu em 6 de julho de 1971.
Em 2006, estimava-se em aproximadamente 10.000 os seguidores dessa doutrina no Brasil e no mundo. Há centros legalmente instituídos em quase todos os estados brasileiros e em países como Espanha e Países Baixos, além de grupos que celebram os cultos em países como Estados Unidos, Canadá, Japão, Argentina, Chile, Uruguai, Venezuela e Portugal.
A doutrina ficou então dividida em duas vertentes principais:
• O Centro de Iluminação Cristã Luz Universal (CICLU) – Alto Santo – dirigido pela viúva do mestre, Peregrina Gomes Serra
• O CEFLURIS, fundado pelo Sebastião Mota de Melo, natural de Eirunepé, Amazonas.

Turma: 3BM

Alunos: Marcos Felipe nº:26
Marcelo nº:25
Giovanny nº:43

Consiste em uma doutrina espiritualista que tem como base o uso sacramental de uma bebida enteógena, ou seja, o estado de êxtase induzido pela ingestão de substâncias alteradoras da consciência e de acordo com os psiquiatras é uma droga psicodélica a ayahuasca. A doutrina não possui empenho ativista de converter uma ou várias pessoas a religião, sendo a prática espiritual essencialmente individual, o autoconhecimento aos meios de obter sabedoria. Conhecida também como “Religião da Floresta” essa doutrina religiosa, profundamente relacionada com a floresta amazônica, faz parte do folclore da região como uma instância de cura espiritual e como uma significativa manifestação (ainda pouco conhecida) de religiosidade popular do nosso país.

Da interação com o meio ambiente surge o conhecimento de uma bebida milenar, de origem indígena, que tem como elementos básicos um cipó e uma folha.

O uso do sacramento Santo Daime é realizado nas datas do seu calendário festivo, obedecendo às regras rituais que foram estabelecidas pelo Mestre Irineu e pelo Padrinho Sebastião.

Um Conselho Espiritual dirige a Igreja e zela pela manutenção da tradição e dos princípios, ao mesmo tempo em que procura adequá-los aos novos contextos. As principais festas do calendário religioso são os Hinários e os Feitios. Feitios são as festas de produção do sacramento, onde todos os homens da comunidade se mobilizam para fazer a bebida sacramental, que será consumida durante o calendário de trabalhos do ano. É importante ressaltar que os interessados em experimentar o chá tem que obedecer a uma dieta de três dias antes e depois da ingestão.

Outro elemento importante da espiritualidade daimista elaborada por Padrinho Sebastião foi à comunidade. A comunidade se constitui no ponto de referência comum para o trabalho espiritual de todos os membros. É a ela que deve retornar todas as boas ações que fazem os aprendizes espirituais.

A sua mensagem, que se encontra reunida na forma de coleções de hinos recebidos pelos mestres e adeptos, prega o amor pela natureza e consagra o mundo vegetal e todo o planeta como sendo o cenário sagrado da nossa mãe-terra.

Em 2010 foi concedido pela a Assembleia Legislativa do Acre os títulos de reconhecimento de cidadão a Raimundo Irineu Serra (fundador do Santo Daime), Daniel Pereira de Mattos (Fundador da barquinha) e José Gabriel da Costa (fundador da União do vegetal). Em 2008 essas três correntes religiosas entraram com um pedido de reconhecimento da bebida do Santo Daime (ayahuasca) como patrimônio cultural imaterial brasileiro para qual aguardam resposta. Em setembro de 2006 as instalações da vertente do santo daime foram tombadas como patrimônio histórico e cultural do acre por um decreto do Jorge Viana e Raimundo Angelim. Esse processo representa uma grande vitória aos ayahuasqueiros, pois desde sua origem foram bastante descriminados devido aos efeitos causados por ela. É importante saber que as “subdivisões” do daime como a Barquinha e a União do Vegetal (UDV) possuem algumas diferenças, o chá é o mesmo, mas o ritual, a maneira como se dirige uma sessão e algumas de suas doutrinas é diferente.

Bebida Ayahuasca!

 

Cerimônia na Barquinha onde seus seguidores ficam vestidos de marinheiros!

 

Mestre Gabriel, fundador da União do Vegetal!

 

Alunos: Eveline Souza nº: 11

Gabriel Chalub nº: 13

Luka Soares nº: 28

Cultura Acriana – O Santo Daime

Publicado: agosto 23, 2012 em Uncategorized

Esta oficina tem como objetivo principal a pesquisa, compreensão e divulgação dos aspectos culturais da doutrina denominada de Santo Daime – a ‘religião da floresta’ – entendida dentro deste contexto amazônico e difundida hoje pelo mundo inteiro. É, de fato, umas das expressões culturais mais representativas do Estado do Acre, visto o número de adeptos e discussões geradas até mesmo em escala global.

Nosso objetivo não permeia uma análise ou julgamento religioso sobre o tema em questão. Por isto, esta abordagem será uma descrição histórica e cultural da temática estabelecida.

Todo o trabalho construído será postado neste blog como forma de organizar os resultados de pesquisa e divulgar o em âmbito escolar e extraescolar o que for fruto da produção estudantil.

Professor Orientador

Manoel de Jesus de Souza Costa

Alunos – Pesquisadores

  1. João Acácio de Menezes Neto (3dm)
  2. Mathaus Laureano Ferreira da Silva  (3dm)
  3. Felipe da Silva Amorim (3dm)
  4. Niza Moreira da Costa (3dm)
  5. Eveline de Sousa Oliveira (3dm)
  6. Sara de Oliveira Rodrigues (3am)
  7. Luka Soares de Araújo (3dm)
  8. André Mota Taveira (3cm)
  9. Fernanda Viana Diniz (3cm)
  10.  Dinara Magalhães dos Santos (3cm)
  11.  Gabriel Chalub Braña (3dm)
  12. Luiz Carlos R. de Souza Filho (3am)
  13. Vanessa Frota Barbosa (3am)
  14. Anna Clara Barbosa Chaar (3am)
  15. Bruno de Sousa Pereira (3dm)
  16. Natalia Akemi Oshiro Meneses (3cm)
  17. Marcos Felipe (3bm)
  18. Giovanny Mesquita Belmonte de Lima (3bm)
  19. Marcelo Victor de Assis Morais (3bm)